Como manobrar a ansiedade na vidinha ordinária acadêmica.

eu tenho ansiedade generalizada essa diaba que faz a gente pensar que vai morrer, se não entregar algum trabalho, ou for criticada ou algo der errado ou qualquer coisa tipo assim. meus dedos são ansiosos, minha voz, meu estômago cheio de gastrite nervosa, meu cabelo que eu sempre corto e estrago e quebro, meu corpo que engorda e emagrece de acordo com o meu emocional, enfim..em todos os cantinhos da vida. e daí vem a universidade, essa instituição cheia de regras, paradigmas, cobranças e pressões e a gente se pergunta: COMO EU SOBREVIVO A ESSE TRECO AQUI SEM MORRRRRRRREEEEER, cotidianamente.

acabou meu período. eu não abandonei disciplinas dessa vez o/ o/, e bem..aparentemente sobrevivi, mas uma amiga, tipo irmã, tipo alma gêmea tá cheia de dor no coração por conta desse diacho chamado academicismo vs ansiedade e eu resolvi fazer esse post, pra dar minhas dicas de sobrevivente ansiosa na universidade, vamo-que-vamo:

1. A primeira dica é um lembrete mental necessário:

se você não conseguir se formar, passar nas matérias, terminar os trabalhos, virar adulto, se dar bem e etc, você não vai morrer. E depois vai poder tentar outras coisas, outros cursos, outras trabalhos...As coisas passam...

2. A segunda dica é exatamente essa

as coisas passam. Sabe aquela dia de entrega de trabalho...onde você parece que vai parir um filho de tão nervoso que tá e triste, e desesperado e se sentindo refém da própria inferioridade e preso num limbo de horror comandado pelo professor que vai te avaliar, e vai obviamente ver todos os seus defeitos e te odiar pra sempre e sonhar com a sua incompetência????????? esse dia vai passar. a aula só dura quatro horas. vai anoitecer, quer você QUEIRA ou não. outro dia vai nascer alheio a sua vontade. de um jeito ou de outro, acaba a tortura. Tem um fim. Então respira fundo e foca nisso. Eu sempre gosto de me imaginar voltando pra casa em dias assim, porque querendo ou não, eu não posso dormir no prédio do meu curso. eu vou ter que entrar na sala, mas também vou sair. 

3. A terceira dica é:

 se você sofre tanto por não conseguir fazer as coisas, é sinal de que você se importa com elas...então não se culpe por não conseguir render como o planejado, não ter foco necessário, ou não ser aquele aluno que aparentemente domina ''tudo''. procure entender as causas da sua dificuldade, as causas que te levam a fugir, e as SUAS soluções de aprendizagem e rendimento...As vezes é uma questão singela de adaptação. conhecer a forma como você se concentra, ou estuda, ou funciona resolve questões importantíssimas de rendimento acadêmico. exemplificando:

- eu me concentro ouvindo rap. o meu fluxo mental é tão intenso e bruto, que funciona melhor pra mim. minha mente fica quieta quando eu escuto algo muito barulhento e alto, experimentar essas opções pode ajudar. encontrar o tipo de frequência ideal.

- eu me concentro vendo filmes que já vi mil vezes enquanto faço trabalhos importantes da faculdade, porque os filmes são afetivos, escutar as falas dos personagens me gera confiança..primeiro, porque: eu os amo. segundo, porque: os conheço muito bem. me sinto em um ambiente seguro e produzo melhor e de forma mais confortável. parece que as coisas ficam mais agradáveis. esse período, fiz todos os meus trabalhos revendo harry potter. <3

- listar tarefas é fundamental para pessoas que se sabotam mentalmente. 
as vezes eu listo coisas imbecis, tipo: 1. Respirar. 
curiosamente..enquanto listo, eu respiro. acabo nem lendo as listas..mas só o fato de escrever, já organiza as funções, e eu me acalmo.. isso funciona muito pra mim

- fazer o que você não gostar de fazer..aos poucos. 
eu explico: tem sempre aquela matéria que você preferia que te matassem, ao invés de assistir ou fazer os trabalhos..geralmente, é dessa que você mais foge, e consequentemente, é nessa que você mais se fode. minha dica é: comece com uma que você gosta MUITO, e coloque a matéria odiada no meio das outras, um pouquinho de cada vez. um exemplozinho:

- fazer coisas de ilustração (eu amo fazer essas coisas)
- fazer primeiro trabalho de fundamentos da linguagem visual (ecat)
-desenhar
-amar
-namorar
- rir

assim, você só vai odiar um pouquinho o seu dia. Se tiver que fazer TUDO que você odeia num dia só, as chances de você fugir desse conteúdo aumentam consideravelmente, e dai você estará verdadeiramente fudido.

agora sobre fugas:
não é culpa sua não querer ir. é autopreservação. keep calm, eu explico.
ansiedade é um aviso do corpo..de que corremos algum perigo. as vezes estamos fugindo da própria mente, mas geralmente o mundo é perigoso mesmo. a universidade é uma instituição que promete ''interagir'' com inteligências e conhecimento. é algo que as pessoas respeitam. isso exerce valores sobre as nossas emoções, o mundo coloca peso em absolutamente tudo. se você faz um curso, todos vão dizer que você já é bom em algo, e que precisa ser ótimo, e que precisa provar que é maravilhoso, e que precisa ser corajoso, e que precisa conseguir e que precisa, e precisa e precisa, mas a única obrigação que o nosso organismo reconhece é a sobrevivência. seu corpo quer te manter vivo, a sala de aula é um gatilho emocional pra muita gente...nós sobrevivemos a escola. nós estamos sobrevivendo a universidade. quando seu coração começar a bater desenfreadamente como se você fosse morrer por conta de abrir uma porta, ele só esta tentando te salvar. você esta se preservando. a sensação de incapacidade e incompreensão está te mantando um pouquinho. se você se sente ignorante em uma situação, se sente vulnerável, e se esta vulnerável, pode ser atacado a qualquer momento. é uma resposta psiquica. não quer ir. não querer fazer. não querer ser colocado a prova. o ''não'' é seu organismo tentando te manter vivo..então não se culpe. aprenda a ensinar ao seu corpo
que você pode lidar. que a instituição não é essa gororoba aí toda... 

respeite um pouco menos a soberania da universidade. o conhecimento não tá lá dentro, tá no mundo todo. lá dentro só estão as ferramentas para integrar melhor todos esses saberes, e você.
 use-as. você importa. você não é uma sigla, um brasão. você é uma pessoa. lá dentro só estão OUTRAS pessoas.

- seu professor não te odeia.
- seu professor não te julga.
- seu professor já fez trabalhos ruins
- seu professor não é um ser humano melhor que você.
- ele é só uma pessoa, uma pessoa que não entende porque você foge da aula dele, uma pessoa que as vezes se importa, e esta disposto a ajudar, e as vezes não. 

e por fim..se tudo der errado na universidade, tudo bem. porque se você foi capaz de estar dentro dela, pode estar em qualquer outra. e se você NUNCA mais quiser estar em outras universidades, tudo bem também, você está vivo, e no mundo. pode fazer escolhas. e pra terminar:
sempre que pensar e sentir que vai morrer porque não tá conseguindo fazer mais nada, e se sabotar, e desistir, e chorar, e se achar um merda: lembre que antes dessa sensação você venceu um montão de outras coisas. você já entregou milhares de outros trabalhos. e você chegou onde chegou. o próximo passo é sempre o mais difícil, e quando chegamos nele, é sempre bom olhar pra baixo. 

dá medo, mas dimensiona o nosso tamanho.
(miga, vai ficar tudo bem...porque nós somos fodas). 







Como manobrar a ansiedade na vidinha ordinária acadêmica.

eu tenho ansiedade generalizada essa diaba que faz a gente pensar que vai morrer, se não entregar algum trabalho, ou for criticada ou algo der errado ou qualquer coisa tipo assim. meus dedos são ansiosos, minha voz, meu estômago cheio de gastrite nervosa, meu cabelo que eu sempre corto e estrago e quebro, meu corpo que engorda e emagrece de acordo com o meu emocional, enfim..em todos os cantinhos da vida. e daí vem a universidade, essa instituição cheia de regras, paradigmas, cobranças e pressões e a gente se pergunta: COMO EU SOBREVIVO A ESSE TRECO AQUI SEM MORRRRRRRREEEEER, cotidianamente.

acabou meu período. eu não abandonei disciplinas dessa vez o/ o/, e bem..aparentemente sobrevivi, mas uma amiga, tipo irmã, tipo alma gêmea tá cheia de dor no coração por conta desse diacho chamado academicismo vs ansiedade e eu resolvi fazer esse post, pra dar minhas dicas de sobrevivente ansiosa na universidade, vamo-que-vamo:



1. A primeira dica é um lembrete mental necessário:

se você não conseguir se formar, passar nas matérias, terminar os trabalhos, virar adulto, se dar bem e etc, você não vai morrer. E depois vai poder tentar outras coisas, outros cursos, outras trabalhos...As coisas passam...

2. A segunda dica é exatamente essa

as coisas passam. Sabe aquela dia de entrega de trabalho...onde você parece que vai parir um filho de tão nervoso que tá e triste, e desesperado e se sentindo refém da própria inferioridade e preso num limbo de horror comandado pelo professor que vai te avaliar, e vai obviamente ver todos os seus defeitos e te odiar pra sempre e sonhar com a sua incompetência????????? esse dia vai passar. a aula só dura quatro horas. vai anoitecer, quer você QUEIRA ou não. outro dia vai nascer alheio a sua vontade. de um jeito ou de outro, acaba a tortura. Tem um fim. Então respira fundo e foca nisso. Eu sempre gosto de me imaginar voltando pra casa em dias assim, porque querendo ou não, eu não posso dormir no prédio do meu curso. eu vou ter que entrar na sala, mas também vou sair. 

3. A terceira dica é:

 se você sofre tanto por não conseguir fazer as coisas, é sinal de que você se importa com elas...então não se culpe por não conseguir render como o planejado, não ter foco necessário, ou não ser aquele aluno que aparentemente domina ''tudo''. procure entender as causas da sua dificuldade, as causas que te levam a fugir, e as SUAS soluções de aprendizagem e rendimento...As vezes é uma questão singela de adaptação. conhecer a forma como você se concentra, ou estuda, ou funciona resolve questões importantíssimas de rendimento acadêmico. exemplificando:

- eu me concentro ouvindo rap. o meu fluxo mental é tão intenso e bruto, que funciona melhor pra mim. minha mente fica quieta quando eu escuto algo muito barulhento e alto, experimentar essas opções pode ajudar. encontrar o tipo de frequência ideal.

- eu me concentro vendo filmes que já vi mil vezes enquanto faço trabalhos importantes da faculdade, porque os filmes são afetivos, escutar as falas dos personagens me gera confiança..primeiro, porque: eu os amo. segundo, porque: os conheço muito bem. me sinto em um ambiente seguro e produzo melhor e de forma mais confortável. parece que as coisas ficam mais agradáveis. esse período, fiz todos os meus trabalhos revendo harry potter. <3

- listar tarefas é fundamental para pessoas que se sabotam mentalmente. 
as vezes eu listo coisas imbecis, tipo: 1. Respirar. 
curiosamente..enquanto listo, eu respiro. acabo nem lendo as listas..mas só o fato de escrever, já organiza as funções, e eu me acalmo.. isso funciona muito pra mim

- fazer o que você não gostar de fazer..aos poucos. 
eu explico: tem sempre aquela matéria que você preferia que te matassem, ao invés de assistir ou fazer os trabalhos..geralmente, é dessa que você mais foge, e consequentemente, é nessa que você mais se fode. minha dica é: comece com uma que você gosta MUITO, e coloque a matéria odiada no meio das outras, um pouquinho de cada vez. um exemplozinho:

- fazer coisas de ilustração (eu amo fazer essas coisas)
- fazer primeiro trabalho de fundamentos da linguagem visual (ecat)
-desenhar
-amar
-namorar
- rir

assim, você só vai odiar um pouquinho o seu dia. Se tiver que fazer TUDO que você odeia num dia só, as chances de você fugir desse conteúdo aumentam consideravelmente, e dai você estará verdadeiramente fudido.

agora sobre fugas:
não é culpa sua não querer ir. é autopreservação. keep calm, eu explico.
ansiedade é um aviso do corpo..de que corremos algum perigo. as vezes estamos fugindo da própria mente, mas geralmente o mundo é perigoso mesmo. a universidade é uma instituição que promete ''interagir'' com inteligências e conhecimento. é algo que as pessoas respeitam. isso exerce valores sobre as nossas emoções, o mundo coloca peso em absolutamente tudo. se você faz um curso, todos vão dizer que você já é bom em algo, e que precisa ser ótimo, e que precisa provar que é maravilhoso, e que precisa ser corajoso, e que precisa conseguir e que precisa, e precisa e precisa, mas a única obrigação que o nosso organismo reconhece é a sobrevivência. seu corpo quer te manter vivo, a sala de aula é um gatilho emocional pra muita gente...nós sobrevivemos a escola. nós estamos sobrevivendo a universidade. quando seu coração começar a bater desenfreadamente como se você fosse morrer por conta de abrir uma porta, ele só esta tentando te salvar. você esta se preservando. a sensação de incapacidade e incompreensão está te mantando um pouquinho. se você se sente ignorante em uma situação, se sente vulnerável, e se esta vulnerável, pode ser atacado a qualquer momento. é uma resposta psiquica. não quer ir. não querer fazer. não querer ser colocado a prova. o ''não'' é seu organismo tentando te manter vivo..então não se culpe. aprenda a ensinar ao seu corpo
que você pode lidar. que a instituição não é essa gororoba aí toda... 

respeite um pouco menos a soberania da universidade. o conhecimento não tá lá dentro, tá no mundo todo. lá dentro só estão as ferramentas para integrar melhor todos esses saberes, e você.
 use-as. você importa. você não é uma sigla, um brasão. você é uma pessoa. lá dentro só estão OUTRAS pessoas.

- seu professor não te odeia.
- seu professor não te julga.
- seu professor já fez trabalhos ruins
- seu professor não é um ser humano melhor que você.
- ele é só uma pessoa, uma pessoa que não entende porque você foge da aula dele, uma pessoa que as vezes se importa, e esta disposto a ajudar, e as vezes não. 

e por fim..se tudo der errado na universidade, tudo bem. porque se você foi capaz de estar dentro dela, pode estar em qualquer outra. e se você NUNCA mais quiser estar em outras universidades, tudo bem também, você está vivo, e no mundo. pode fazer escolhas. e pra terminar:
sempre que pensar e sentir que vai morrer porque não tá conseguindo fazer mais nada, e se sabotar, e desistir, e chorar, e se achar um merda: lembre que antes dessa sensação você venceu um montão de outras coisas. você já entregou milhares de outros trabalhos. e você chegou onde chegou. o próximo passo é sempre o mais difícil, e quando chegamos nele, é sempre bom olhar pra baixo. 

dá medo, mas dimensiona o nosso tamanho.
(miga, vai ficar tudo bem...porque nós somos fodas). 







 

blogger templates | Make Money Online