O gozo é livre.

Se eu não posso sair pela rua sem que ninguém me estranhe, eu gozo. Gozo no deboche e na afronta. Já que não abrem a maldita porta para que eu passe pela frente, arrombo por trás, e choco. Choco aqueles que esperam. Eu poderia lamentar tua conduta, ou teu brasão. Poderia até implorar teu amor europeu. Te pedir um anel, um pomar, e uma casa. Mas, sou do carnaval, só me deram a rua.. Fui lá e gozei. Peguei meu preto pelo braço e com meus alardes e enfeites aticei o público. Eu posso, ainda que vocês não permitam. Ser gay, hétero, homem, mulher. Eu posso ser gênio, ou burra. Não posso e não quero ser branca. Nasci negra. Não posso e nem quero não ser brasileira, nasci Brasil. Cheinha de fogo, e sem vergonha nessa minha cara preta. Que bom que você não me vê nessa novela de merda, que pena por você que não se permite sentir o gosto da cor. Se não posso garantir que minhas mulheres amores libertem seus úteros, que cada morte fique em tua conta. Que cada açoite seja em tua memória. Se meus amigos não podem beijar lábios que os atraiam sem que te magoem, infelizmente te magoaremos, gato. Beijaços. Estilhaços de todo nosso desejo, e o teu temor. Teu temor mesquinho em ser feliz. Tua covardia. Menino...O gozo é livre. Ela abre as pernas e goza, e a boca é tua. Também, o teu prazer. Imagina se você pudesse só comer quem quisesse? Inerente a credo, raça ou cor? trabalhar naquilo que te da prazer. Imagina não precisar comprar mil infelizes coisas das quais você não precisa? Imaginou? hhmm. Delícia. Então agora abaixa essa calça, esses preconceitos e diz sim. Diz sim pra vida, e da próxima vez só abra essa boca pra chupar alguém, ao invés de apedrejar a existência alheia. Vai tratar de ser uma pessoinha mais plena de saberes que te ajudem a se tornar um ser humano mais atraente. Eu recomendaria uns livros, algumas poesias. Até sussurraria algumas canções pra ti. Mas, tenho mais o que fazer, tipo lavar minha própria roupa e me proteger dos teus estupros. Eu tenho uma vida pra inventar, já que não herdei teus privilégios. Estou ocupada e preocupada com os meus que morrem todos os dias nas mãos da tua hipocrisia. Lamento, seco suor, lágrimas e gozo. Gozo na marra os prazeres e deleites de cada pequena conquista. Gozo e penso mentalmente, sou foda. Sou foda poética, literária e literal. Te enfrento todos os dias, e te ganho. Ganho quando desfilo todo o meu glamour esfregando os prazeres dessa vida na tua cara. Sambando amor, e é isso.  Eu vou simplesmente foder com você. É uma surra. E daí tu desmaia de prazer e finalmente entende que dinheiro é o que menos importa na vida. A gente ganha pra perder, e mantém os elos no sorriso, na sensualidade, e nessa de ser pau pra toda obra. De ser fiel. Seguiremos amando, doa a quem doer. Não te vendo nada, meu prazer é de graça e aberta as cortinas, espie e aprenda, se sou toda minha, tu pode ser todo seu. A gente se usa e põe no mesmo lugar onde estava. A gente avança meu bem, se você deixar...É só você me deixar gozar direito... dos meus direitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

blogger templates | Make Money Online